Skip to main content
x

 

RICARDO FROIS MARTINS

ESR8 - UZH

 

English version

All surfaces of the human body, including the skin, the gastrointestinal tract and the female reproductive tract are densely colonized with microbes, including bacteria, viruses and fungi. Although the presence of these microorganisms are usually harmless for the host, they can have pathogenic potential and cause disease under certain conditions. C. albicans is a good example of a commensal fungus that can cause disease if host defences are breached. Genetic variations within the species of C. albicans modulate the interaction with the host and thereby influence the initiation and severity of disease. How this large intraspecies diversity is generated and modulated within the host is unknown to date. Furthermore, our understanding of how the host maintains fungal commensalism without fungal overgrowth or fungal clearances is incomplete. Therefore, as part of the FunHoMic consortium, in my PhD project I will assess how variations in the immune system or in the host microbiota status impact C.albicans diversification and evolution. In addition, I will decipher the protective immune mechanism in the oral mucosa of continuously C. albicans-colonized hosts that balance fungal control versus overt inflammation and immunopathology. This research will further our understanding about the mechanisms that set the equilibrium between C.albicans and the host and it will support the development of innovative strategies that aim at restoring homeostasis in patients suffering from fungal infections.

Portuguese version

Todas as superfícies do corpo humano particularmente, a pele, o tracto gastrointestinal e o tracto reprodutor feminino são fortemente colonizadas por micróbios tais como, bacterias, vírus e fungos. Normalmente a presença destes microorganismos é inofensiva no entanto, alguns dos microorganismos tem potencial patógenico, isto é, podem causar doença em certas condições. A C. albicans é um bom exemplo de um fungo comensal que causa doença caso as defesas do hospedeiro sejam ultrapassadas. As variações genéticas que existem na espécie C. albicans modulam as interacções com o hospedeiro influenciando o início como também a severidade da doença. Ainda não se sabe como é que esta diversidade intraespécie é gerada e modulada dentro do hospedeiro. Até ao momento, também não se sabe como é que o hospedeiro controla o crescimento do fungo evitando o seu crescimento excessivo sem que o consiga eliminar por completo. Assim, como parte do consórcio FunHoMic, no meu projecto de doutoramento irei avaliar como é que o sistema imunitário ou a microbiota influenciam a diversificação e evolução da C. albicans. Irei também decifrar, na mucosa oral infectada com C. albicans, o mecanismo pelo qual o sistema imunitário controla a carga fúngica sem causar um excesso de inflamação e consequente patologia. Os resultados desta investigação científica irão aumentar o conhecimento sobre os mecanismos que estabelecem o equílibrio entre a C. albicans e o hospedeiro como também poderam suportar o desenvolvimento de novas estratégias que tenham como objectivo restaurar a homeostasia em pacientes que sofrem de infecções fúngicas.